De volta ao palco, Orquestra 415 apresenta Vivaldi e Albinoni

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A Orquestra 415 retorna ao palco do Palácio das Artes nesta quinta (5/5) e sexta-feira (6/5), às 20h, com a apresentação dos “Concertos venezianos de Vivaldi e Albinoni”, na Sala Juvenal Dias.  André Salles, coordenador e regente da Orquestra, celebra o primeiro concerto depois do isolamento social imposto pela pandemia.

“A gente ia começar um concerto na semana em que fechou tudo; tínhamos feito, inclusive, um ensaio geral para essa apresentação. Aí parou tudo… Fizemos gravações durante a pandemia, mas cada músico de sua casa. Concerto mesmo, ao vivo, com todo mundo, esse é o primeiro depois da pandemia. É a volta”, revela.

Para ele, a presença do público é insubstituível, sobretudo no Palácio das Artes. Durante a pandemia, o grupo participou de edital da Lei Aldir Blanc, que possibilitou a gravação on-line. Salles não chega a considerá-la uma live, pois teve um maior trabalho de preparo para o produto final apresentado pela Orquestra em seu canal no YouTube.

Surgida em 2012, em concerto na Igreja São José, a Orquestra 415 vem desde 2015 se apresentando em temporadas regulares e, desde 2018, no Palácio das Artes. O conjunto carrega no nome a frequência em que estão afinados os instrumentos e que melhor se aproximam dos sons feitos durante o barroco. Para os leigos, a frequência de 415Hz significa meio tom mais grave que a de 440Hz dos afinamentos modernos.

Também as cordas dos instrumentos, feitas de tripa, são as que melhor emulam a sonoridade projetada pelos compositores e ouvida pelo público à época, diferentemente das cordas de aço de hoje. A Orquestra também carrega instrumentos particulares que já não estão mais presentes em outros corpos sinfônicos e filarmônicos, como a flauta doce, o alaúde, a guitarra barroca e o cravo.

DIFERENCIAL

Essas escolhas técnicas são o diferencial da 415 e se refletem também no repertório a ser apresentado. “A gente quis escolher um repertório bem-alegre, bem vivo, com bastante energia. A gente vai fazer quatro concertos. Dois de Vivaldi e dois de Albinoni. Os dois compositores nasceram em Veneza, no período barroco, e é interessante que eles tenham um estilo muito próximo. Um estilo bastante alegre, bastante rítmico, vivo. Essa conjunção entre os dois compositores com mesmo estilo e esse estilo sendo exatamente o que estávamos buscando resultou na escolha do repertório”, finaliza.

ORQUESTRA 415

Concertos Venezianos de Vivaldi e Albinoni, nesta quinta (5/5) e sexta-feira (6/5), às 20h, na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537 – Centro). Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), na bilheteria do teatro.

Fonte: Estado de Minas

Compartilhe.

Deixe uma resposta

dez − três =